Abril na Casa da Cultura

VOLTAR

Abril na Casa da Cultura

Nova temporada do festival Estações Musicais, duas exposições e retomada dos projetos Ciranda nas Escolas e Atelier Livre marcam o início do outono
O mês de abril está repleto de atrações na programação da Casa da Cultura. O início do outono marca a nova temporada do festival “Estações Musicais”. Sucesso em 2017, o projeto é uma iniciativa da Secretaria de Cultura de Paraty em parceria com a Secretaria de Turismo, a Paraty Cultural e o Paraty Convention, para instaurar uma programação contínua com apresentações de música de câmara (clássica) ou instrumental (brasileira e jazz) em todos os fins de semana em que não acontecem grandes eventos, acrescentando um atrativo a mais à cidade e reforçando sua vocação como referência em turismo cultural (confira abaixo as datas e as atrações de abril).
Uma das novidades da temporada 2018 é que o intercâmbio entre os participantes do festival será intensificado com as “Estadias Musicais”: o músico convidado permanece mais dias em Paraty, onde vai desenvolver um trabalho com alunos e músicos da cidade com apresentações em concerto.
Nas salas de exposições, duas novas mostras entram em cartaz, a partir do dia 27: “Amélio, Mestre Cirandeiro”, conta a trajetória de um dos nossos maiores mestres da ciranda. Conhecida dança de roda em diversos cantos do país, a ciranda tem sua representação em Paraty, de maneira única, expressando o cotidiano da cidade de uma forma alegre e contagiante. Amélio da Silva Vaz, paratiense, se envolveu com a música aos 5 anos, quando já cantava canoa e folia de reis com os irmãos, e acompanhava o pai nas festas de jongo. Aos 80 anos, Seu Amélio é um dos poucos cirandeiros de Paraty a preservar a tradição dos versos rimados de improviso. Ao longo da vida, como muitos mestres cirandeiros, foi lavrador e pescador. Chegou a tocar viola, mas se aperfeiçoou mesmo no pandeiro e na voz e na memória viva que preserva a cultura da ciranda.

A segunda exposição, “A mar, a espera líquida”, de Antonia Moura, é um ensaio poético do universo imaginário de mulheres que amam homens do alto mar, embarcados em navios. A narrativa se dá através de uma instalação com fotografias, vídeos, postais, textos, cartas e calcinhas vehas. As calcinhas são objetos de intimidade, memória e ausência, da espera por esse amor que não voltou, seu desgaste reflete a passagem do tempo.

Abril também é tempo de “Ciranda nas Escolas”, projeto que volta com força total às escolas da rede municipal. A cada semana, o grupo Cirandeiro de Parati, acompanhado do Mestre Maneco, percorre as escolas do município.

Com muita dança e conversa, as crianças não só aprendem sobre o ritmo da ciranda, como se divertem e cantam canções tradicionais. Ciranda nas Escolas faz parte do projeto “Ritmos e Danças”, do Programa de Educação Musical de Paraty, realizado pela Associação Paraty Cultural e Secretaria de Cultura de Paraty com o objetivo de disseminar a cultura paratiense entre as crianças e jovens da cidade.

Com o “Atelier Livre”, ​A Casa da Cultura tem levado o estudo das artes para as escolas públicas e instituições sociais do município. As oficinas semanais têm o objetivo de ensinar, estimular e aumentar o repertório lúdico e cultural das crianças. O Atelier Livre também é uma iniciativa da Casa da Culura e Secretaria de Cultura de Paraty.
Confira a programação do mês:

Estações Musicais

13 sexta

19h/20h | Praças do Chafariz e Matriz

Camerata Jovem do Rio de Janeiro

Flashmob convidando para o concerto de abertura

 

14 sábado

16h | Forte Defensor Perpétuo

Série Fazendo Escola

Camerata Jovem do Rio de Janeiro

Concerto de abertura

 

20 | sexta

21h | Casa da Cultura

Série Feito em Casa

Diálogo de Guitarras

Java Carneiro, Lucas Dutra e convidados

 

25 a 28 | Casa da Cultura

Estadias musicais: Benjamim Taubkin

De 25 a 28, oficina com músicos de Paraty preparando

o concerto no sábado.

 

26 quinta

20h | Conversa com Marcos Caetano Ribas

O Núcleo Contemporâneo e o Teatro Espaço

 

27 | sexta

20h | Filmes:

Música na Serrinha

O piano que conversa

 

28 | sábado

21h

Benjamim Taubkin e músicos de Paraty

Exposições
27| sexta

20h

Amélio, Mestre Cirandeiro

A (mar), a espera líquida, de Antonia Moura