Projeto de alunos do curso de audiovisual da Paraty Cultural distribui livros em branco pela cidade, para mulheres contarem suas histórias.

VOLTAR Início: 20/05/2016
Encerramento: 20/05/2016

13315679_1041525792599696_7466379282598431445_nO Objetivo do projeto é incentivar as mulheres que encontrarem os livros, a compartilharem momentos,  experiências sobre o que é ser mulher, depoimentos sobre as dificuldades enfrentadas, sobre abusos sofridos diariamente, ou até mesmo histórias de luta, coragem, e empoderamento.

A data e local marcado para a devolução dos livros foi o dia 07 de Junho de 2016, no guarda volumes da rodoviária de Paraty, mas, nem todos os livros foram entregues, os alunos esperam que o restante dos livros sejam devolvido no decorrer do mês de  junho de 2016.

Se você estiver com o livro ou conhecer alguém que esteja com um deles, entre em contato que vamos busca-lo onde estiver. Não deixe que essas histórias se percam.

“Cada página em branco guarda um silêncio, que pode ser quebrado quando alguém como você pegar um lápis ou uma caneta para deixar nele registrado uma fala, uma história, um testemunho, algo que aconteceu e que precisamos saber. O silêncio das páginas em branco é o silêncio guardado de tantas mulheres que não têm suas vozes ouvidas.

Escrever é um jeito de falar para muitos, mesmo no anonimato do livro livre. Esse é um convite para você. Quando você estiver com o livro livre nas mãos, você pode escrever ou convidar alguém para escrever, desenhar, colar uma imagem.

Queremos ler alguma história que você tenha passado, ou que saiba de alguém que tenha passado, uma história em que o fato de ser mulher tenha significado alguma perda, constrangimento, violência, ou também coragem, força, resistência, cumplicidade com outras mulheres.

Depois de escrever, deixe o livro num lugar público ou passe para alguém para que ele possa encontrar outras histórias. Se quiser compartilhar esse momento com a gente, acesse nossa página “Livro Livre Mulher” no Facebook e envie uma foto do livro no lugar onde você o deixou.

“Por favor, não guarde esse livro somente para si. Pois ele é um livro livre e deve circular pelas mãos de muita gente.”