Mecânica do Fantástico

VOLTAR

Exposição “Mecânica do Fantástico“, Maia Flore.
Sala Samuel Costa.
Paraty em Foco 2017.

Fotos: Leonardo Assis.

Fotografia é construção. Seja tijolo por tijolo em nossa imaginação ou no gesto infinitesimal de apertar o botão disparador da câmera. Um é antes, outro depois. Um vem sendo gerado dentro do pensamento, outro é pensado (?) no ato de fotografar. Um é movimento mental, outro metafísico.

Mas fotografia também pode ser desconstruir. Maia Flore desconstrói paisagens construindo imagens naquilo que já existe. Com frequência  se coloca nas cenas que fabrica, assim pontuando que ela também é a paisagem, posto que passa a ser o ponto central da fotografia. Ali está uma figura humana, ou mesmo só um rastro, que dá um novo sentido ao entorno, adicionando um significado leve, flutuante, vaporoso e uma nova realidade é criada.

Maia parte de ideias que desenha antes de executá-las. Depois que viram fotografias, em um processo que envolve longos períodos de tratamento e refinamento no computador, suas imagens se libertam da sua autora para ganharem novos significados aos olhos de quem as vê. E flutuam como sonhos em um lugar entre a imaginação e a realidade.

Paulo Marcos de Mendonça Lima